Polícia Aracruz ES

Universitário do ES queria contratar "sniper" para matar Lula; veja o que ele disse à PF

O suspeito mora em Aracruz, Norte do ES, e postou em uma rede social que iria criar uma "vaquinha" para pagar um atirador com acesso a um rifle

Por Regional ES

06/02/2024 às 17:43:09 - Atualizado h√°
Foto: Thiago Soares/Folha Vitória

O capixaba suspeito de criar uma vaquinha online para arrecadar dinheiro para matar o presidente da República, Luiz In√°cio Lula da Silva (PT), é um universit√°rio de 19 anos, morador de Aracruz, no litoral Norte do Espírito Santo.

LEIA TAMBÉM: Artilheiro da Copa ES Sub-20 acerta com equipe dos Emirados √Ārabes

Segundo a Polícia Federal, em uma rede social, o estudante disse que iria arrecadar dinheiro para contratar um "sniper", um mercen√°rio, para fazer o serviço.

CRICARE

Na tarde desta terça-feira (6), o delegado federal Lorenzo Esposito, da Delegacia de Crimes Fazend√°rios (Delefaz) da PF, respons√°vel pela investigação do caso, deu mais detalhes sobre a apuração e explicou que o celular e o computador do suspeito foram apreendidos.

"Através de uma rede social, um indivíduo teria feito ameaças ao presidente da República. Ele estava incitando, dizendo que ia iniciar uma arrecadação de fundos, chamou de 'vaquinha', para contratar um 'sniper', um atirador, com acesso a um rifle de precisão para poder matar o presidente", destacou o delegado.
Foto: Reprodução / TV Vitória
Delegado Lorenzo Esposito, da Polícia Federal, é o respons√°vel pela investigação


LEIA TAMBÉM: Pais dos g√™meos de Colatina anunciam que beb√™s estarão finalmente juntos: "Alívio enorme"

THOMAZINE

A Operação Eco, deflagrada nesta terça-feira, que resultou no cumprimento de mandado de busca e apreensão na casa do rapaz, apura a pr√°tica das infrações penais de ameaça e incitação ao crime praticados contra a Presid√™ncia.

"A gente recebeu essa notícia do crime, começou a investigação, conseguiu identificar esse indivíduo, viu que realmente ele tinha feito as postagens. Ele reside em Aracruz e pedimos (mandado) busca e apreensão. A Justiça deferiu, e foi cumprida hoje. Ele é um jovem de 19 anos, não trabalha, e é estudante", disse Lorenzo Esposito.
"Não foi encontrado nenhum armamento, nada nesse sentido. Foi apreendido o aparelho celular e o computador para que a gente apure se realmente ele deu continuidade ao que colocou nas redes sociais ou se foi o que ele disse no depoimento dele", acrescentou o delegado.
Foto: Divulgação / Polícia Federal
Celular e computador do estudante foram apreendidos pela Federal

No entanto, por serem considerados crimes de menor potencial ofensivo, nesses casos, quando h√° condenação, a Justiça substitui a prisão por penas alternativas, como pagamento de multa ou prestação de serviços comunit√°rios.

LEIA TAMBÉM: Vacina contra dengue ao SUS ser√° prioridade, diz fabricante

Agora, se a Polícia Federal encontrar no computador ou no celular algo que mostre que ele foi além das ameaças, a situação muda.

Estudante confessou que fez as postagens

Segundo Lorenzo Esposito, o rapaz colaborou e admitiu as postagens nas redes sociais: "No depoimento, ele confessou que realmente fez isso, mas que não chegou a colocar em pr√°tica. Ele disse que não fez nada e que eram só ameaças".

"Ele falou que depois se arrependeu, e que chegou até posteriormente a apagar a conta dele nessa rede social. Disse que se arrependeu do que tinha feito", contou o delegado.

A equipe da Delegacia de Crimes Fazend√°rios cumpriu as ordens judiciais expedidas pelo Juízo da 1¬™ Vara Federal de Linhares. O nome da Operação Eco faz alusão à mitologia grega, especificamente a uma jovem que falava demais.

*Com informações do repórter Alexsander Pandini, da TV Vitória/Record

Fonte: Folha Vitória
Comunicar erro
Regional ES

© 2024 Regional ES - Todos os direitos reservados.

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

Regional ES